Eis que um dos jogos mais aguardados do ano é lançado para todos os players. Battlefield V está sendo um divisor de águas por causa de seus antecessores, porém, vamos analisar este ponto mais tarde.

Na madrugada do dia 15 de Novembro de 2018, eu estava aguardando as portas do BFV se abrirem, já que comprei a edição deluxe do game e tive acesso antecipado em 5 dias. E às 3 manhã em ponto dei o clique inicial para cair de cabeça na Segunda Guerra Mundial.

Screenshot_19

Os primeiros passos no jogo foram em uma “introdução-tutorial”. Mesmo eu sendo contra a obrigatoriedade de se jogar tutorial para seguir em frente nos games, o BFV o trouxe de uma forma interativa, rápida e nada cansativa. Assim que terminei fui para o modo Multiplayer, e alguns minutos foram suficientes para revelar que o jogo estava fluído, bonito e com algumas diferenças do beta.

Abaixo, veremos os modos disponíveis até o momento para o jogadores:

Este slideshow necessita de JavaScript.

O novo Battlefield trouxe algumas novidades que me agradaram muito, como:

  • Qualquer classe pode reviver um aliado do mesmo squad, porém, o médico fará isso mais rápido e pode reanimar qualquer soldado do time;
  • Estações de cura e munição: a de cura completará sua vida e lhe dará uma bandagem para ferimentos posteriores; a de munição reabastecerá totalmente suas munições leves, pesadas e dispositivos das classes, como granadas, mísseis, minas e outros;
  • A regeneração de vida automática não é mais total e fica menor a cada ferimento sofrido;
  • Build de aprimoramento de especializações de armas e veículos;
  • Narrativa das batalhas no modo Operações Grandiosas;
  • Diversas construções: trincheiras, barricadas, armas estacionárias e mais;
  • Um Arsenal para comprar itens cosméticos para armas, veículos e uniformes;
  • Mudanças climáticas durante o jogo;

Este slideshow necessita de JavaScript.

As classes de Assalto, Médico, Suporte e Batedor estão bem balanceadas entre si, dando mais uniformidade ao jogo e trazendo de volta a sensação de avanço e defesa tática. Tente jogar sem um Médico por perto e veja como será mais lenta a progressão para bandeiras inimigas; sinta-se indefeso ao passar por um blindado se não tiver um Assalto ao seu lado; construa rápido para impedir o avanço de forças inimigas, tenha batalhas mais intensas ou enfrente mais veículos sendo infantaria sem um Suporte com você; aviste diversos inimigos a longa distância e tenha cobertura para avançar em campo aberto sem um Batedor em seu squad.

Vamos entender melhor o que foi mencionado acima:

Screenshot_20

CLASSES

– VANTAGENS

  • Assalto: melhor classe contra veículos; armas com dano alto e velocidade de disparo considerável. Primeira infantaria para combate;
  • Médico: se cura muito rápido e quase toda hora; arma com maior fire rate (Suomi Kp/31) e quatro granadas de fumaça. Infantaria de ajuda na defesa e flanco no ataque;
  • Suporte: armas com pouco recuo; auxilia na destruição de veículos e abastecimento das outras classes; é o construtor mais rápido no jogo e a única classe que repara os veículos estando fora deles. Segunda infantaria de combate;
  • Batedor: o spot é um auxílio mortal e eficaz vindo desta classe, dura mais tempo e o alcance é maior; tem o famoso becon que dá suporte estratégico para renascimento e armas de maior alcance com dano alto;

– DESVANTAGENS

  • Assalto: por ser o responsável pela destruição de veículos, esta classe se torna alvo fácil e denuncia a sua posição facilmente.
  • Médico: por ter submetralhadoras em seu arsenal, esta classe tem um alcance menor do que as outras.
  • Suporte: esta classe é a mais balanceada do game, mas este também é seu ponto fraco, pois a vantagem ou desvantagem dependerá da distância e da classe do inimigo a sua frente;
  • Batedor: por ser um especialista em abates de longa distância fica difícil eliminar inimigos de perto; é a classe que mais “depende” do spot e como este recurso é escasso neste jogo, você precisará ter uma boa visão para encontrar suas vítimas;

Todos os mapas apresentados até agora no Battlefield V são fluidos e dinâmicos, além de bonitos e bem detalhados. Talvez o único onde os jogadores ficam um pouco mais travados, como se estivessem em Operation Metro ou Operation Locker, seja o Aerodrome. Vamos aos nove mapas:

Agora voltaremos ao ponto do primeiro parágrafo, o “Battlefield V, um divisor de águas”.

Eu acompanho muitas comunidades de jogos variados, mas de Battlefield, em especial, tenho umas 4 adicionadas em minha rede social. Com isso me deparei com muitos posts contendo reclamações um tanto controversas. Vários jogadores falando que o novo Battlefield deveria ser guerra moderna, outros querendo um remake de BF 4.

Primeiro ponto: vamos pensar na situação de ter um remake do Battlefield 4.

Esse ainda é um jogo recente, com um gráfico muito bom e servidores ainda na “ativa”. “Ah, mas tem poucos servidores!”. Os servidores são alugados por outros players e/ou empresas, e eles só continuarão existindo se houver jogadores entrando constantemente. Ou seja, já que gostava tanto do BF4, qual o motivo para não ter continuado nele ao invés de migrar para outros jogos?

Segundo ponto: jogo com a temática guerra moderna.

Aqui pode ser uma questão de gosto ou dependência de certos auxílios que a “modernidade” trouxe para os jogos de guerra. Muitos players se acostumaram com o famoso spot para conseguir identificar os inimigos no campo de batalha, e eu confesso que era acostumado com isso também, já que o BF3 foi meu primeiro jogo de FPS Online e neste game isso era bem comum. Sem este recurso, muitos jogadores não conseguem visualizar o inimigo, se adaptar, “jogar bem” ou como gostariam. Porém, acabei conhecendo outros que não têm o spot e aprendi a escutar o jogo; isso traz uma diferença de postura no game totalmente diferente.

Só que ainda temos um terceiro ponto nesta história: o valor do jogo.

Esta questão já é um pouco mais complexa e passa por vários motivos diferentes. Eu comprei a versão deluxe do BFV na pré-venda, por R$ 280,00, cerca de US$ 70 na época, e a versão básica custava US$ 60, assim como a maioria dos grandes lançamentos  de diversas empresas apresentados na E3 2018.

Na ocasião fui pesquisar o quanto paguei para ter a versão deluxe do BF4 + o famoso premium e para minha surpresa foi mais caro do que o atual, com o valor de US$ 107,00. Estamos comparando um jogo de 2013 com outro de 2018, cinco anos depois e o battlefield está US$ 37,00 mais barato. Não vamos colocar a variação da moeda pelo salário mínimo, pois ficaria ainda mais “em conta”, pois em 2013 o nosso salário mínimo era menor do que hoje.

Concluindo, o maior problema para o preço do nosso querido jogo é a desvalorização da nossa moeda ao longo destes anos, pois ainda estamos passando por uma crise econômica no País. Em Dezembro de 2013, o dólar custava em média R$2,35, e hoje, dia 26/11/2018, estamos variando de R$ 3,83 até R$ 3,88. Sendo assim, mesmo com o custo maior, em dólar, do jogo em 2013, eu paguei menos do que hoje:

2013 – US$ 107,00 = R$ 253,00 (arredondando)

2018 – US$ 70,00 = R$ 280,00 (arredondando)

Finalizando estas primeiras impressões dentro e fora do jogo, posso dizer que o BFV trouxe a satisfação que eu tinha de jogar Battlefield na época do 3 e do 4. Muitas gargalhadas, bons jogos, partidas disputadas e estresse mínimo – essa é pra quem jogou Overwatch e PUBG. Porém, isso é assunto para outro dia.

Abaixo, um vídeo de algumas coisas que aconteceram nestes primeiros dias de gameplay no Battlefield V com a galera que costumo jogar:

2 comentários »

Deixe uma resposta