A ASSOMBRAÇÃO DA CASA DA COLINA – LIVRO

Design sem nome (2).png

“A história de casa mal-assombrada mais próxima da perfeição que eu já li” – Esta é a frase que estampa a contracapa de A ASSOMBRAÇÃO DA CASA DA COLINA, de Shirley Jackson, e é assinada por ninguém menos do que Stephen King. Obviamente é um blurb e tanto, perfeito para fãs do mestre como eu.

Mas será que é isso mesmo?

Bem, eu terminei hoje de ler este livro e vou contar para vocês minha experiência de leitura.

haunted_hous1.jpg

Publicado pela primeira vez em 1959, pouco antes do falecimento da autora, A ASSOMBRAÇÃO DA CASA DA COLINA nos traz a história de uma casa. Sim, porque a protagonista desta obra é a malfadada mansão no alto da colina, cheia de mitos e de lendas sobre os fantasmas que a habitam.

Intrigado pelas especulações a respeito da propriedade, Dr. Montague se propõe a encontrar pessoas com algum tipo de mediunidade que se disponham a passar algum tempo na casa, para que possam estudar se ela é realmente portadora de fenômenos sobrenaturais.

A única regra imposta pelos verdadeiros donos da mansão – que não a habitam, a propósito – é que o futuro herdeiro da mesma esteja presente. E assim temos o primeiro participante da empreitada; o jovem Luke, que não está nem um pouco preocupado com toda a coisa. Ele quer farra.

Outras duas pessoas que respondem ao convite de Dr. Montague são Theodora, uma jovem atriz em decadência, e Eleanor, uma mulher com uma vida bem humilde, vivendo de favor na casa da irmã, sem nada que a estimule em sua vida real.

1.png

Os quatro, portanto, se isolam dentro da casa, e coisas estranhas começam a acontecer: escritos em paredes, objetos que desaparecem, vozes sussurradas, um frio sobrenatural, barulhos estranhos…

Até aí você pode pensar: ok, é só mais um livro de casa mal assombrada. E se você iniciar a leitura com esse pensamento, vai acabar se frustrando. Shirley Jackson não tem a intenção de te assustar. Embora crie uma ambientação muito bem – com uma lentidão quase letárgica –, ela também apresenta nossa protagonista (ou segunda protagonista, se levarmos em consideração que a casa é a personagem principal do livro, de longe) de forma muito competente, e é exatamente Eleanor que nos dá a direção de onde a autora queria chegar com esta obra.

221118_1334135.png.1500x997_q95_crop-smart_upscale.png

A ASSOMBRAÇÃO DA CASA DA COLINA não é apenas um livro de terror. É uma obra que entra profundamente no psicológico humano, principalmente no de Eleanor, que se mostra desde o início uma pessoa com pensamentos muito desequilibrados. Pelo que pude captar, ela tem algum traço de esquizofrenia, sofre de depressão profunda e possui uma carência singular. Ela se apega à casa e às pessoas que estão ali presentes de tal forma, especialmente à outra moça – Theodora –, que, para ela, aquele é o momento mais excitante de sua vida.

Tanto que chegamos a cogitar que a maioria dos eventos “sobrenaturais” que acontecem durante os dias de estadia dessas quatro pessoas foram provocados por ela. Os outros, no entanto… bem, vocês vão precisar ler o livro e tirarem suas próprias conclusões.

the-haunting-film-still-feature-640x340-1280x720.jpg

Existem três adaptações para este livro. Uma de 1963, em preto e branco; uma de 99 (bem famosa, aliás, com Liam Neeson, Catherine Zeta-Jones no papel de Theodora e Owen Wilson como Luke), que é bem pouco fiel ao livro e, na minha opinião, sofrível de se assistir, pois aposta no gore e não trabalha as nuances psicológicas da história, embora o elenco seja excelente e muito semelhante ao que eu imaginei dos personagens. A mais recente pertence à Netflix e é do ano de 2018, que eu não assisti, mas que parece também livremente baseada na obra.

Se você não se importa com o ritmo lento em um livro, porque sabe que há muito mais nele do que apenas ação, vá fundo. Eu recomendo a leitura, especialmente as últimas 30 páginas, que são realmente incríveis.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: