BLASPHEMOUS

Violento, sombrio e fantástico!

 

Soulsvania – termo usado para descrever jogos Metroidvanias com estilos mais sombrios, puxados para o Dark Souls. Não curto muito o termo “Soulsvania”, acredito que Metroid e Castlevania são o suficiente para descrever a modalidade; são jogos difíceis e com temas sérios, mas já que o povo tá inventando moda, vamos lá!

Soulsvania, Soulslike, Soulsborne… que seja! Blasphemous veio somar à nossa pilha de jogos maravilhosos!

Não só maravilhosos, como também super difíceis. Confesso que levei um tempo pra aceitar a movimentação do cenário, é um jogo de paciência, não adianta sair pulando e dando espadadas no ar. Apesar de ser um metroidvania, você não está jogando Hollow Knight, os lifes são escassos, e os inimigos não perdoam de jeito nenhum. Cada “beliscão” que você leva dos monstros é uma boa parte da sua saúde que é perdida.

Mas Blasphemous surgiu de um Kickstarter, em 2017, com uma pegada extremamente sombria, supersticiosa e profana. Desenvolvido pela Espanhola The Game Kitchen e publicada pela Team17, o jogo se passa na terra de Cvstodia, que foi baseada em Sevilha, na Espanha, e a maior parte dos cenários saíram de pinturas como essa de Francisco de Goya:

Francisco de Goya y Lucientes 025.jpg

Falar sobre “O Penitente”, nome dado ao protagonista do jogo, é bem complicado, pois ele possui diversas referências históricas, que envolvem religião e crenças. Serei bem raso nessa parte, falarei apenas o básico para te convencer a jogar! (Mas não deixem de reparar nos detalhes, por exemplo, o chapéu que o pessoal do quadro acima usa).

Resultado de imagem para Blasphemous

Nosso Penitente é um cara misterioso, porém, determinado a cumprir seu objetivo. Para isso, ele possui uma árvore de habilidades curiosa. Já que temos esse viés religioso, o estúdio mostrou uma criatividade fantástica ao inserir seus upgrades de habilidades em um Rosário, onde cada conta é uma melhoria. Temos altares de oração onde salvamos o progresso do jogo e recuperamos nosso life, e orações, tidas como nossos poderes, que, quando utilizadas, devastam os oponentes.

blasphemous_01

Mas pera lá, não vá nessa achando que terá um RPG complexo e cheio de builds, pois infelizmente o game para por aí. Apesar das melhorias de ataques e habilidades, não é possível montar diferentes combinações de acordo com a sua jogabilidade.

Mas isso não impede de Blasphemous ser um dos melhores indies de 2019. Gosto de pensar assim: curte metroidvania? Então vá na fé e na certeza, esse aqui fará você perder horas andando e morrendo atrás de missões secundárias.

6jQQlZW

Um bom nível de dificuldade nunca fez mal a ninguém, então, encare alguns monstros, decepe alguns membros alheios; você irá se deliciar com a pixel art do jogo.

Apesar de ainda não ter terminado os 100% , fiquei extremamente satisfeito com o progresso e com o rumo. A história, apesar de ser contada aos poucos, é bem interessante, e se você curte uma imersão, essa é a hora pra colocar seu latim no papel.

Joguei uma cópia para Nintendo Switch. Quando fui checar sua nota no Metacritic achei uma diferença bem grande para versões de outros consoles; as principais reclamações foram FPS e bugs. Não presenciei nenhuma queda ou alteração de FPS enquanto joguei, muito menos me deparei com algum bug.

sadasdas

Não pense que Blasphemous não está nas listas de Speed Runs por aí; segundo o site Speed Runs, o usuário AcridStingray3 bateu o game em 18:24!!

Agora crie coragem e encare o mundo sombrio de Blasphemous e nos conte o que achou!

Até o próximo!

1568473806856

 

Essa cópia para Nintendo Switch foi gentilmente cedida pela Team17 para o review!

logo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: