Katana Zero

Samurais, Sangue e Violência!

 

Katana ZERO, desenvolvido pela Askiisoft e distribuído pela Devolver, é um game frenético para quem tem dedo rápido e paciência… muita paciência!

Pois é, você está na pele de um… digamos… samurai, conhecido apenas pelo nome de “O Dragão”. A história é bem escassa no início e vem se desdobrando à medida que o jogo vai rolando.

No controle do Dragão, um cara enigmático, saído de uma suposta guerra, na qual adquiriu sérios transtornos pós traumáticos. Mas não é só isso; o jogo ainda conta com uma certa clarividência do personagem, ou seriam viagens temporais? Ou nada disso acontece?

 

598ad0648b4f16fd08e3ae91097f9559

 

Calma, vamos por partes. Katana ZERO é um game de ação em plataforma, na qual, antes de qualquer movimentação no início do cenário, o personagem faz a análise de como será o seu ataque. De uma forma irreverente, os desenvolvedores criaram essa percepção do personagem, portanto, antes de invadir um prédio, o Samurai prevê todos os seus ataques. Caso você morra, a fita rebobina, e ele diz: “É, isso não funciona!”, e a fase recomeça até que você consiga ultrapassar todos os obstáculos e matar todos os inimigos. Quando sua jogada é perfeita, o personagem simplesmente decide que esse será o melhor plano de ação e executa a jogada como se ela já existisse.

A questão é que você irá morrer umas 20x até acertar a movimentação de cada tela, morrer até decorar a hora certa de rebater o tiro da arma com a espada, morrer até se lembrar do tempo certo de desviar daquela câmera de segurança, e, para isso, entra a tal da paciência que mencionamos no início.

 

Katana-ZERO-Action-1

 

E com essa doidera toda, nada melhor do que ir ao psiquiatra ao final de cada missão, tomar os remédios (uma injeção chamada Cronos) e, claro… receber dele a próxima ficha de quem devemos matar!

Com tudo isso citado, vale lembrar que o jogo também possui uma história por trás, que vem sendo contada aos poucos, à medida que o protagonista vai recuperando a memória em lapsos, pouco a pouco, o que faz você querer ir até o final e saber o que, de fato, aconteceu. O fato é que a narrativa é tão fantástica, a ponto de você não saber se o que o personagem está vivendo aconteceu no passado, no presente ou se é um devaneio.

Mas o jogo vale cada minuto investido. Tem gráficos pixelados, uma mistura de cyberpunk com um toque de noir (neo-noir), muitas luzes de neon com um cenário retrô, e além disso a trilha sonora eletrônica acompanha a loucura de Katana ZERO.

giphy

Outro ponto interessante do jogo fica na interação do personagem com os NPC’s, pois você, em determinados diálogos, pode agir de forma grosseira ou politizada. Qualquer que seja seu estilo de resposta, nada irá afetar as missões, apenas a forma com que as situações são colocadas, como, por exemplo, você pode ou não ter ajuda de um NPC, dependendo da forma como o tratou anteriormente.

O jogo vale ser jogado. Tudo que foi dito até aqui não consegue expressar a experiência dele em movimento – câmeras lentas, pulos, mortes e repetições. Coloque esse jogo em sua lista de pendências para este ano! A nota do game no Metacritic é de 83 para o PC!

Resultado de imagem para katana zero

 

Speed Run do usuário Lastnumb3r zerando o game em 15m 57s

Gosto de ver essas runs, o jogo parece tão fácil!!

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: