A nanotecnologia de Wakanda

Olá, leitores!

Mês passado falamos sobre o vidro. Quem não viu, sugiro que corra lá pra entender um pouco mais sobre aquele tipo de material. Hoje vamos mais a fundo e exploraremos as partículas em escala nanométricas.

Quem acompanha os filmes da Marvel viu a evolução da armadura do homem de ferro desde seu primeiro filme. Atualmente ele usa uma com a mesma tecnologia apresentada no filme do Pantera Negra. Em Wakanda foi apresentada a super tecnologia de nanomateriais que em poucos segundos compõem a armadura do herói. Mas será Possível? Essa nanotecnologia existe? Quão longe estamos da ciência de Wakanda?

Primeiramente precisamos entender o que é a nanotecnologia. Ela esta associada às tecnologias que permitem construir ou controlar materiais em escala nanométrica, ou seja, uma escala MUITO pequena. 1 nanômetro(nm) é o mesmo que 1 metro dividido por 1 bilhão. Pra você ter uma ideia de quanto isso é pequeno, imagine uma estrada em linha reta de São Paulo a Atenas, na Grécia (aproximadamente 10.000 Km), e uma bola de gude no meio dessa estrada (aproximadamente 1 cm). Esta bola de gude está para esta estrada assim como um nanômetro está para o metro. Um único átomo de hélio, por exemplo, tem aproximadamente 0,1nm de diâmetro.

Acho que já deu pra entender o quanto é difícil trabalhar com nanotecnologia. Agora vamos entender onde já chegamos e até onde podemos ir.

Você possivelmente já escutou alguma coisa sobre grafeno ou nanotubos de carbono, certo? Este é um bom exemplo de realidade em nanotecnologia. Já possuímos tecnologia suficiente para manipular o grafite e construir diferentes estruturas de átomos de carbono, como folhas de espessura atômica (grafeno), tubos de espessura atômica (nanotubos) e até mesmo esferas de espessura de casca atômica (fulereno).

Mas pra quê isso seria útil? Na verdade, esse materiais em escala nanométrica apresentam propriedades elétricas e mecânicas muito superiores às dos materiais que conhecemos. Vejamos o exemplo do nanotubo de carbono. Um grupo de pesquisadores chineses publicou ano retrasado (Nature Nanotechnology volume 13, pages 589–595 (2018) ) um artigo relatando o desenvolvimento de uma fibra capaz de suportar a tensão de 80GPa. Essa resistência seria superior à necessária para a construção de um elevador espacial, por exemplo.

Um bom exemplo para demonstrar o quanto nossa tecnologia está avançada, no que diz respeito a instrumentos de manipulação e visualização em nanoescala, é o filme de 2013 “O menino e o átomo”, da IBM. Neste filme a IBM manipulou moléculas de monóxido de carbono para fazer uma animação em stop motion com o auxílio de um microscópio de tunelamento (STM).

Se você ainda não se impressionou, espere para conhecer o nanomontador. O cientista norte-americano K. Eric Drexler foi o primeiro a propor a possibilidade de reproduzir mecanicamente atividades biológicas e criar máquinas em escala nanométricas manipuladoras de átomos. Ou seja, atualmente já há pesquisa com a intenção de criar nanomáquinas que poderiam fabricar qualquer tipo de objeto, incluindo uma outra nanomáquina como ela.

Se isso for realmente possível, no futuro poderemos ter, não somente armaduras como a do Pantera Negra ou do Homem de Ferro, mas, também, nanorobôs que poderão regenerar nossas células. O que poderia fazer de nós um certo tipo de Wolverine ou DeadPool!

Outra possibilidade é a da reprodução descontrolada desses nanorobôs, trazendo a extinção da raça humana. Mas não se preocupe, os cientistas estão estudando a fundo todo esse universo.

Então é isso, pessoal. A ciência tem avançado a passos largos na área da nanotecnologia e já estamos vivenciando algumas dessas conquistas. Eu estou ansioso pra descobrir o que mais pode vir por aí. E vocês, como estão?

Mês que vem vamos ainda mais fundo e falaremos sobre as peculiaridades do reino quântico do Homem Formiga

Não se acanhe, dúvidas, críticas e sugestões são bem-vindas, deixe-as nos comentários, combinado?

Um forte abraço a todos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: